30 de abr de 2010

Sherlock Holmes, o filme

Uma série de assassinatos, um vilão com poderes mágicos e um mistério indecifrável... Esses são os ingredientes do novo filme de Sherlock Holmes!
Eu estava louca para ver esse filme (quando eu o vi em cartaz nas próximas estréias), como boa amante de filmes de época e uma boa amante de historias de detetives, especialmente Holmes, que é meu predileto, bem eu...TINHA QUE VER ESSE FILME! E vi.
Antes, no entanto, de ver, li algumas criticas na internet que me deixaram com um pé atrás, mas nada melhor do que você mesma para ver um filme e tirar suas próprias conclusões. Minha nota ao filme? 8. O filme é bom, o enredo é bom, o figurino é bom, os artistas são bons,o cenário é bom, mas o Holmes... A o Holmes, dá para acreditar que foi ele quem matou a estória? Não que o ator não fosse bom (e ele era), mas as forma como ele foi apresentado estragou o filme.
Lembro-me bem quando li o primeiro livro do Sherlock Holmes, eu tinha 14 anos, foi o signo dos quatro, eu sempre amei esse tipo de estória e me lembro muito bem de alguns traços do Holmes. Entenda, o longa é bom, mas é intragável para os amantes do detetive inglês.
Por mais que eu entenda, aceite e concorde que em uma adaptação de um livro para filme deva haver certas diferenças por incompatibilidade, eu acredito que certas coisas não podem e nem devem mudar. Então vamos á lista de pecados, e julguemos e sentenciemos esse filme:
1º em alguns momentos tive a sensação de que o protagonista era o Watson. Por mais que eu o ame tanto quanto o Holmes, muitas vezes sua figura ficou muito mais evidente do que a do verdadeiro protagonista. (será que o motivo disso se deve ao fato de ser Jude Low o Dr. Watson?).
2º Holmes tinha hábitos excêntricos, isso não quer dizer que ele fosse louco e em alguns momento eu acreditei que ele o fosse. A desorganização, a falta de compromisso e a excentricidade em exagero, ora bolas, isso não é característica do Holmes. Ele diversas vezes ficava entediado e usava ópio, mas ser um cientista maluco não era a dele.
3º A namorada do Dr. Watson, meu Deus de todas eu achei que ela foi a personagem melhor representada, ela realmente me lembrava uma lady do século XIX. Mas suas origens... Será que o roteirista não leu o signo dos quatro? Ela era sim uma governanta, mas ela não tinha pai! Ela descobriu sobre os rolos do pai graças ao Sr. Holmes...
4º Watson mandava e desmanda em Holmes, é muito esquisito ver isto depois de ter lido vários livros que demonstrava diferente. Ok, livros e filmes são diferentes, mas certas coisas...
5º A paixonite do Holmes, nunca li sobre tal (tá certo que eu ainda não consegui ler todos os livros sobre Holmes), só uma vez é que li sobre uma mulher que Holmes tenha gostado... Mas mesmo assim é subjetivo por que até os fãs de Holmes têm certas dúvidas quanto a isso.
6º Pude perceber que o roteirista procurou colocar elementos de várias estórias no filme, como por exemplo: a da paixonite de Holmes, também quando ele se disfarça de mentigo (lembro que foi no mesmo episódio que ele conhece a mulher que ele amou), e etc e tal...
7º Achei bacana o gancho que eles deixaram para um possível próximo filme, afinal de contas Dr. Mouriart é e sempre será o maior inimigo de Holmes.
O veredicto é: o filme é bom para se ver, mas deixa muito a desejar. E para os amantes do detetive mais famoso da historia, é eu sei, dói ver aquelas mudanças gritantes...

Nenhum comentário: