31 de mai de 2010

o medo de Maigret

Esse é apenas mais um dos livros de Georges Simenon sobre o comissário Maigret. Confesso que cada dia mais me simpatiso com o Sr Maigret, ele é muito interessante, taciturno, pragmático, metódico e dotado de hábitos muito estranhos.
A cada dia que passa gosto de ler mais e mais os livros de Simenon. As histórias não são aquelas super elaboradas, mas são ótimas, também não são daquelas tipo o código da Vinci onde você deve correr freneticamente para desvendar um grande mistério (estou farta disso).
Devo confessar que em uns momentos vejo características em comum entre Sherlock Holmes e Maigret, que franceses e ingleses não leiam isto, mas é verdade o que digo. E os ingleses que me perdoe, ultimamente estou inclinada a preferir Maigret. Sabe o que é neh, com esse advento francês em minha vida, estou tão ligada a tudo que vem da França que acabei esquecendo do Holmes...
Este livro em questão fala um caso que o comissário ajuda a resolver quando esta voltando de um congresso em Bordeaux, no caminho ele resolve ir visitar um velho amigo, o juiz de instrução Chabot, em Fontenay- Le- Comte. A pacata cidade esta em pavoroso após três assassinatos aparentemente insolucionáveis. E Maigret será tomado pelo pior de seus medos: a injustiça(adaptado da sinopse do livro).
O livro é ótimo, mas achei a forma do Maigret solucionar o caso um pouco bizarra. Por isso: 8,5.

Novas Aquisições #1

Este mês de maio foi um mês tumultuado e de poucas aquisições!
Apesar de ter ido à bienal eu não comprei muito livros, apenas um. No final das contas não tinha muitos livros em promoção, os preços dos livros estavam a mesma coisa do que nas livrarias. É triste, o legal desse tipo de evento é, além de ter oportunidade de conhecer mais sobre o mundo literário e entrar em contato com ele, tem a parte bacana de poder comprar vários livros por preços mais acessíveis ao bolso.
Mas houve outro motivo para me zangar com a bienal, é que eu não me lembro de ter esbarrado em muitos sebos, na verdade apenas um. Percebi que depois que o evento deixou de ser salão do livro e passou a ser Bienal do livro os sebos desapareceram, o espaço para as editoras aumentaram, mas a dos sebos diminuíram? Rodei todo o Expominas para descobrir que só havia um sebo descente.
Mas esquecendo a bienal (que é um evento muito querido por mim) e lembrando-se dos livros. Este mês fiz três novas aquisições, que foram:

Dos Delitos e das Penas
Este foi um livro que comprei por causa da faculdade. O professor de Penal I nos recomendou a ler a obra de Cesare Beccaria, pois o mesmo foi um marco no direito. O autor foi o primeiro a levantar à voz em nome da humanidade e da razão, contra uma tradição jurídica e a legislação penal de seu tempo, denunciando os julgamentos secretos, as torturas empregadas como meio de se obter prova do crime, a prática de confiscar os bens do condenado e etc...





Persuasão
Bem, estou morta de curiosidade de ler este livro. Estou na fase em eu só conheço um autor: Jane Austen (na verdade são dois Jane e Georges Simenon). Felizmente estou numa fase que quero devorar todas as obras dessas autora, melhor assim, caso contrario ficaria com dor de conciência de nunca ter lido todas as obras dela. Não sei bem o que se trata a estória, mas depois de ter ouvido tantos comentarios positivos acabei ficando empolgada. parece que fala de um jovem casal que foi noivo, rompeu o noivado e anos depois se encontraram. se eu não estiver delirando deve ser isso mesmo. Bom, eu não preciso saber do que se trata a estória, uma vez que tenho inteira confiaça em que escreveu.


Orgulho e preconceito e Zumbis
Sinceramente eu não coloquei muita fé nesse livro não. Eu o descobri esporadicamente quando estava pesquisando umas coisinhas sobre orgulho e preconceito (como mangás, HQ’s e etc e tal...). No entanto, li um comentário de um dos colaboradores do blog Nem um pouco épico sobre o livro e fiquei tentada a lê-lo. Não resisti á tentação e acabei comprando o dito cujo na bienal, o único livro que comprei por lá. Ainda não li, mas parece ser muito bom...
De acordo com The Onion A. V. Club: “... é difícil lembrar como o romance de Jane Austen teve sucesso sem os mortos-vivos...”, acredito que o critico tenha exagerado um pouco, mas quem sabe né? Minha opinião só começa a contar depois que eu já tiver lido o livro, então deixa para lá...

27 de mai de 2010

O Jipe

Um jovem cumpria o seu dever cívico prestando serviço ao exército, mas era ridicularizado por ser cristão. Um dia o seu superior hierárquico, na intenção de humilhá-lo na frente
do pelotão, pregou-lhe uma peça...

- Soldado Coelho, venha até aqui!
- Pois não Senhor.
- Segure essa chave. Agora vá até aquele jipe e o estacione ali na frente.

- Mas senhor, o senhor sabe perfeitamente que eu não sei dirigir.
- Soldado Coelho, eu não lhe perguntei nada. Vá até o jipe e faça o
que eu lhe ordenei...
- Mas senhor, eu não sei dirigir!
- Então peça ajuda ao seu Deus. Mostre-nos que Ele existe.

O soldado não temendo, pegou a chave das mãos do seu superior e foi
até o veículo. Entrou, sentou-se no banco do motorista e imediatamente começou sua oração.

"Senhor, tu sabes que eu não sei dirigir. Guie as minhas mãos e mostre a essas pessoas a sua fidelidade. Eu confio em Ti e sei que podes me ajudar. Amém."

O garoto, manobrou o veículo e estacionou perfeitamente como queria o
seu superior. Ao sair do veículo, viu todo o pelotão chorando e alguns de joelhos...

- O que houve gente? - perguntou o soldado.
- Quem é o teu Deus, Coelho. Como fazemos para tê-lo? Perguntou
o seu superior.

- Basta aceitá-lo como seu Senhor e Salvador. Mas porquê todos
decidiram aceitar o meu Deus?

O superior pegou o soldado pela gola da camisa, caminhou com ele até o jipe enxugando suas lágrimas. Chegando lá, levantou o capô do veículo e o mesmo estava sem o motor!


DEUS CUIDA DOS SEUS E NÃO PERMITE QUE NINGUÉM NOS HUMILHE.
SEJA VOCÊ TAMBÉM UMA SEMENTE DE JESUS E VOCÊ SEMPRE COLHERÁ O BEM!


Espere... No tempo de Deus (que não é o seu) aquilo que você tanto almeja ser-lhe-à dado. Se você está passando por provas, não se desespere. O Senhor está formando seu caráter e no tempo certo Ele lhe dará a vitória.


Deus tem visto suas lutas! Deus diz que elas estão chegando ao fim. Uma bênção está vindo em sua direção.

Enviem de coração, de forma livre, a quem seu coração direcionar.


DEUS É DEUS...

25 de mai de 2010

Militares no poder NUNCA Mais

Por Millôr Fernandes
Militar no poder, nunca mais. Só fizeram lambanças!
Tiraram o cenário bucólico que havia na Via Dutra (de uma só pista), que foi duplicada e recebeu melhorias; acabaram aí com as emoções das curvas mal construídas e os solavancos estimulantes provocados pelos buracos na pista. Não satisfeitos, fizeram o mesmo com a rodovia Rio-Juiz de Fora.

Com a construção da ponte Rio-Niterói, acabaram com o sonho de crescimento da pequena Magé, cidade nos fundos da Baía de Guanabara, que era caminho obrigatório dos que iam de um lado ao outro e não queriam sofrer na espera da barcaça que levava meia dúzia de carros.

Criaram esse maldito do Pro-Álcool, com o medo infundado de que o petróleo vai acabar um dia.Para apressar logo o fim do chamado "ouro negro", deram um impulso gigantesco à Petrobrás, que passou a extrair petróleo 10 vezes mais (de 75 mil barris diários, passou a produzir 750 mil); sem contar o fedor de bêbado que os carros passaram a ter com o uso do álcool.

Enfiaram o Brasil numa disputa estressante, levando-o da posição de 45ª economia do mundo para a posição de 8ª, trazendo com isso uma nociva onda de inveja mundial.

Tiraram o sossego da vida ociosa de 13 milhões de brasileiros que, com a gigantesca oferta de emprego, ficaram sem a desculpa do "estou desempregado".

Em 1971, no governo militar, o Brasil alcançou a posição de segundo maior construtor de navios no mundo. Uma desgraça completa.

Com gigantesca oferta de empregos, baixaram consideravelmente os índices de roubos e assaltos. Sem aquela emoção de estar na iminência de sofrer um assalto, os nossos passeios perderem completamente a graça.

Alteraram profundamente a topografia do território brasileiro com a construção de hidrelétricas gigantescas (TUCURUÍ, ILHA SOLTEIRA, JUPIÁ e ITAIPU), o que obrigou as nossas crianças a aprenderem sobre essas bobagens de nomes esquisitos. O Brasil, que antes vivia o romantismo do jantar à luz de velas ou de lamparinas, teve que tolerar a instalação de milhares de torres de alta tensão espalhadas pelo seu território, para levar energia elétrica a quem nunca precisou disso, implementaram os metrôs de São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Recife, deixando tudo pronto para atazanar a vida dos cidadãos e o trânsito nestas cidades.

Baniram do Brasil pessoas bem intencionadas, que queriam implantar aqui um regime político que fazia a felicidade dos russos, cubanos e chineses, em cujos países as pessoas se reuniam em fila nas ruas apenas para bater-papo, e ninguém pensava em sair a passeio para nenhum outro país. Foram demasiadamente rigorosos com os simpatizantes daqueles regimes, só porque soltaram uma "bombinha de São João" no aeroporto de Guararapes, onde alguns inocentes morreram de susto apenas.

Os militares são muito estressados. Fazem tempestade em copo d'água só por causa de alguns assaltos a bancos, seqüestros de diplomatas... ninharias que qualquer delegado de polícia resolve.

Tiraram-nos o interesse pela Política, vez que os deputados e senadores daquela época não nos brindavam com esses deliciosos escândalos que fazem a alegria da gente hoje.

Inventaram um tal de PROJETO RONDON, para que os nossos universitários conhecessem os problemas dos brasileiros desassistidos nos grotões da Amazônia, Centro-oeste e Nordeste; o FGTS, PIS e PASEP, só para criar atritos entre empregados e patrões. Para piorar a coisa, ainda criaram o MOBRAL, que ensinou milhões a ler e escrever, aumentando mais ainda o poder desses empregados contra os seus patrões.

Nem o homem do campo escapou, porque criaram para ele o FUNRURAL, tirando do pobre coitado a doce preocupação que ele tinha com o seu futuro. Era tão bom imaginar-se velhinho, pedindo esmolas para sobreviver.

Outras desgraças criadas pelos militares:

Trouxeram a TV a cores para as nossas casas, pelas mãos e burrice de um oficial do Exército, formado pelo Instituto Militar de Engenharia, que inventou o sistema PAL-M. Criaram a EMBRATEL; TELEBRÁS; ANGRA I e II; INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM. Além de todas essas desgraças feitas pelos quatro governos chefiados por oficiais-generais da reserva do exército, e citadas pelo autor, podemos acrescer a "insignificante" EMBRAER, totalmente idealizada e realizada pelo então Ministério da Aeronáutica.

Tudo isso e muito mais os militares fizeram em 22 anos de governo. Depois que entregaram o governo aos civis, estes, nos vinte anos seguinte, não fizeram nem 10% dos estragos que os militares fizeram. Graças a Deus!

Tem muito mais coisas horrorosas que eles, os militares, criaram, mas o que está escrito acima é o bastante para dizermos: "Militar no poder, nunca mais"!!! Salvo os domesticados
Fonte: Recebido por e-mail

O dia do orgulho Nerd



http://geekcats.com/

O “Dia do Orgulho Nerd” começou na Espanha, só que lá se chama “dia del orgullo friki”.
O dia foi escolhido por que no dia 25 de maio de 1977 foi a première do primeiro filme da série Star Wars.
O dia 25 de maio também é o Dia da Toalha, em homenagem ao escritor Douglas Adams que escreveu “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, onde a toalha é considerado um item fundamental para quem deseja viajar pelo espaço.

Piadas sobre Advogados

Recebi esses piadinhas por e-mail, e pra variar eu adorei. Vale apena, dá para dar ótimas risadas, coisa de advogado...

~*~*~*~

- Morrendo
O advogado, no leito da morte, pede uma Bíblia e começa a lê-la avidamente. Todos se surpreendem com a conversão daquele homem ateu, e uma pessoa pergunta o motivo.
O advogado doente responde:
- Estou procurando alguma brecha na lei.

- Bebida
Dois advogados saem do escritório cansados... Com a gravata semi-aberta, o cigarro no canto da boca depois de um dia estafante de trabalho, um vira para o outro e pergunta:
- Vamos tomar alguma coisa?
O outro arregala os olhos empolgado e responde:
- Vamos!!! De quem????

- Perguntas
O sujeito chega para um amigo, advogado e diz:
- Quanto você cobra para me responder duas perguntas?
- Quinhentos reais! Qual é a segunda?

- Pai e filho
Dois advogados, pai e filho, conversam:
- Papai! Estou desesperado. Não sei o que fazer. Perdi aquela causa!
- Meu filho, não se preocupe. Advogado não perde causa. Quem perde é o cliente!

- Juntos
Dois advogados, sócios em um escritório, saem juntos e vão almoçar. Já no meio da refeição um vira para o outro e reclama:
- Puxa vida, esquecemos de trancar o escritório!
E o outro responde:
- Não se preocupe, estamos os dois aqui.

- Absolvido
Num julgamento o Juiz pergunta ao réu:
- Como o senhor matou sua esposa?
- A chifradas, meritíssimo!
- Absolvido! Legítima defesa.

- Na faculdade
Aluno de Direito ao fazer prova oral:
- O que é uma fraude?
- É o que o senhor, Professor, está fazendo, responde o aluno.
O professor fica indignado:
- Ora essa, explique-se.
Então diz o aluno:
- Segundo o Código Penal, 'comete fraude todo aquele que se aproveita da ignorância do outro para o prejudicar'.

- No ar
O avião estava com problemas nos motores e o piloto pediu às comissárias de bordo para prepararem os passageiros para uma aterrissagem forçada.
Depois, ele chama uma atendente para saber se tudo está bem na cabine e ela responde:
- Todos estão preparados, com cinto de segurança e na posição adequada, menos um advogado, que está entregando o seu cartão aos passageiros!

- Pessoas diferentes
Certo dia estavam dois homens caminhando por um cemitério quando se depararam com uma sepultura recente..
Na lápide lia-se:
'Aqui jaz um homem honesto e advogado competente'. Ao terminar a leitura um virou-se para o outro e disse:
- Desde quando estão enterrando duas pessoas na mesma cova?

- Diferenças
Sabe qual a diferença entre Juízes de primeira Instância e os de Segunda?
Os primeiros pensam que são Deus....
Os outros já têm certeza!!!

- Atropelamento
Dois trabalhadores estavam caminhando pelo acostamento da Via Dutra, voltando de uma Indústria onde haviam trabalhado duro o dia inteiro, quando um Advogado, que vinha a toda velocidade no seu carro importado, atropela os dois.
Um deles atravessou o para-brisa e caiu dentro do carro do Advogado, enquanto o outro voou bem longe, a uns dez metros do local do atropelamento.
Três meses depois, eles saíram do Hospital e, para surpresa geral, foram direto para a cadeia....Um, por 'invasão de domicílio' e o outro por 'se evadir do local do acidente.

24 de mai de 2010

Percy Jackson e o Ladrão de Raios

Percy Jackson não sabe, mas é um semi-deus, isto é, ele é filho de um deus com uma humana. Sua vida muda drasticamente quando é atacado por uma erínia (ou no português: fúria). Ele é acusado de ter roubado os raios de Zeus, o maior ‘deus’ do Olimpo. Levando-o a entrar em uma grande encrenca, que pode causar uma grande guerra.
É interessante a formula usado na estória do filme, trazer a mitologia grega para os tempos modernos, sinceramente, eu adorei a idéia. A parte chata é que tudo se concentra nos EUA, e não no mediterrâneo como de fato o é.
As referências as várias lendas da mitologia grega é latente, um dos personagens por exemplo, o centauro Quíron (Preace Borsnan) é nada mais, nada menos na mitologia o tutor de grandes heróis como Aquiles.
Eu achei o filme bacana, mas como certas adaptações de livros para filmes, sempre parece que falta alguma coisa, isso também aconteceu com Harry Potter. Certos pontos da história parece que ficam soltas, um exemplo disso é por que depois de ter visto o filme eu ainda não havia entendido por que todos achavam que o protagonista é que havia roubado os raios.
Confesso que fiquei curiosa em ler o livro, pois apesar de aceitar modificações entre um livro e um filme, ha certos livros que simplesmente não ficam bons como filmes (ou são mal adaptados). Ouve alguns filmes que eu vi antes de ler os livros e gostei, como é o caso de Crepusculo, mas Percy Jackson e a bussola de ouro me fez ter uma necessidade de ler o livro, porque eles por si só eram fracos, deixavam a história um pouco solta.
Eu não gostei de alguns efeitos gráficos do filme, eram simplesmente muito artificiais. Outros, no entanto, eram bacanas, como por exemplo, o cabelo da medusa.
O filme é bom, mas deixa um pouco a desejar, no que diz respeito aos clichês, quando li a alguns meses o resumo do filme cri piamente que era de certa forma uma imitação a Harry Potter.
Fica a dica, é um filme bom para se ver e se divertir...

As Crônicas de Nárnia - O sobrinho do Mago, C.S. Lewis

No primeiro volume de as crônicas de Nárnia nos deparamos com Digory, o sobrinho do excêntrico André, um senhor louquinho da silva que diz ser um mago. O garoto é levado para a casa do tio por que o pai se encontrava na Índia a trabalho e sua mãe muito doente. Ele leva uma vida solitária até conhecer vizinha Polly, os dois se tornam grandes amigos. Em uma de suas aventuras, eles acabam esbarrando em tio André, que os entrega um anel mágico que os leva a outro mundo.
Fazia muito tempo que eu estava louca para ler os livros das crônicas de Nárnia, tive a oportunidade de comprar e comprei. Vale muito apena ler o livro, é uma leitura solta e descontraída e que deixa o leitor curioso a medida que avança.
O interessante a notar é que o livro é escrito para crianças, mas é também muito atraente para adultos, levando-nos ao um mundo de magia fantástico e completamente inocente. Outra coisa que é muito comentada sobre a obra de Lewis é que suas estórias estão impregnadas de simbologias bíblicas. Dizem que o intuito dele era contar a historias da bíblia de forma bem atraente as crianças.
De fato é uma historia muito interessante, e como diz um dos comentaristas do livro: "um verdadeiro Cânon da literatura mundial". Vale apena cada minuto desperdiçado com essa obra, ela nos ensina muito mais sobre a bíblia e a vida do que podemos imaginar.

Emma - Jane Austen

Certa de que permanecerá solteira pelo resto da vida, Emma Woodhouse esquece os próprios anseios amorosos e passa a se dedicar os sentimentos dos rapazes e moças que a cercam. Em sua atuação como casamenteira, incorpora os costumes da Inglaterra vitoriana: apóia, aprova ou desaprova namoros conforme seu juízo de valores – fundamentado nas rígidas normas morais da época. Mas o amor escolhe caminhos que nada tem haver com preconceitos sociais, e esta é uma verdade que Emma sequer desconfia que terá que enfrentar. (sinopse retirada do verso do livro)
Eu amo os livros da Jane Aunsten, e Emma era um daqueles do qual estava na minha lista de futuras leituras que sabe lá Deus quando eu iria ler. Como não dá para comprar todos os livros que eu quero ler, alguns dos livros eu tenho que pegar na biblioteca (o que não me incomoda, pois eu adoro bibliotecas). Fazia um tempo que eu queria ler Emma e me lembro que essa era uma das poucas obras de Austen que a biblioteca não tinha a versão traduzida, fiquei fascinada quando vi e acabei pegando para ler.
Devo confessar que eu não gostei muito do inicio, não sei se foi expectativa ou o que, mas sei que fiquei um pouco desmotivada. Achei a protagonista Emma muito fútil, detestei seu modo de pensar a principio e do jeito que as coisas estavam andando, cheguei a conclusão que o enredo ia no mesmo ritmo fútil que aqueles romances mulherzinha.
A medida que continuei a leitura, eu comecei a gostar da Emma, comecei a gostar do enredo e deixei de lado aquela visão de romance mulherzinha. O livro é muito bom, Jane Austen como sempre nos cativa com seus romances e nos mostra como era a mentalidade de sua época.
Emma é um clássico, merece ser lido e apreciado. É um romance que nos instiga e nos faz pensar. O final é muito legal, agente passa 300 paginas crendo piamente em uma coisa, quando chega no final descobre certas coisas... A estória nós instiga a querer desvendar um pequeno mistério que nele há.
Antes de terminar, minha nota é 10.

12 de mai de 2010

Conte-me seus sonhos

Ashley, Tony e Alette têm duas coisas em comum: São bonitas e suspeitas de cometer uma serie de assassinatos brutais. A policia efetua a prisão, que leva a um dos julgamentos mais inusitados já vistos, com a defesa baseando-se em provas médicas bizarras, porem autenticas. De Londres a Roma, de Quebec a São Francisco, a trama conte-me seus sonhos é magnética desde o começo até o final surpreendente. (Sinopse retirada do verso do livro)
Eu devo confessar que foi com muita relutância que eu peguei esse livro, minha experiência com Sidney Sheldon não foi uma das melhores, eu fiquei com uma péssima impressão do autor depois de ler quem tem medo do escuro.
No entanto, fiquei de queixo caído quando li este volume aqui, gostei demais (mesmo depois do resumo que meu namorado fez), e achei a idéia do autor genial.
O livro se divide em 3 partes, a primeira diz respeito ao desenrolar da historia, os assassinatos em si, a segunda parte fica só por conta do desenrolar do julgamento e a terceira parte é a que descobrimos toda o porque de certos comportamentos.
Este é um livro que vale a pena ler e reler, o único pro do livro é que eu achei muito fraco a atuação do Advogado de Ashley e teve um momento que achei uma justificativa fraca, mas tirando isso é interessante ver o desenrolar da estória, acredito que teria sido muito mais emocionante a leitura se não houvessem me contado todo o mistério do livro...
Minha nota é 9!

11 de mai de 2010

A verdade Nua e crua


Produtora (Heigl) de um programa de TV sobre casos amorosos está insatisfeita e totalmente confusa com as idéias chauvinistas de seu correspondente (Butler), que quer a todo custo provar suas teorias sobre relacionamentos e ainda encontrar um amor para ela. As táticas dele, no entanto, os colocam diante de um resultado completamente inesperado.

O filme é otimo, dei muitas risadas. Gerard Butler esta ótimo como sempre e a atriz que interpreta nossa protagonista também não fica para trás. Dei altas risasdas com a dupla, que diga-se de passagem tem uma química...
Fica como recomendação, uma ótima comédia romântica como varias outras...

6 de mai de 2010

Amigos

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento
mais nobre do que o amor,
eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o
amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que
tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus
amigos e o quanto minha vida depende de suas existências ..
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não
posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem
que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem
noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu
equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente,
construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.
Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em
síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos,
cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer ...

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a
roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando
comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus
amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber
que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os.

OBS.: Esqueci qual é o nome do autor