31 de jan de 2011

Oração

O pastor de uma igreja decidiu observar as pessoas que entravam para orar. A porta se abriu e um homem de camisa esfarrapada adentrou pelo corredor central. O homem se ajoelhou, inclinou a cabeça, levantou-se e foi embora. Nos dias seguintes, sempre ao meio-dia, a mesma cena se repetia. Cada vez que se ajoelhava por alguns instantes, deixava de lado uma marmita.
A curiosidade do pastor crescia e também o receio de que fosse um
assaltante então decidiu aproximar-se e perguntar o que fazia ali.
O velho homem disse que trabalhava numa fábrica, num outro bairro da cidade e que se chamava Jim.
Disse que o almoço havia sido há meia hora atrás e que reservava o tempo restante para orar, que ficava apenas alguns momentos porque a fábrica era longe dali.
E disse a oração que fazia:
'Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido
desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar, mas eu penso em você todos os dias. Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando.'
O pastor, um tanto aturdido, disse que ele seria sempre bem-vindo e que viesse à igreja sempre que desejasse.
'É hora de ir' - disse Jim sorrindo. Agradeceu e dirigiu-se apressadamente para a porta.
O pastor ajoelhou-se diante do altar, de um modo como nunca havia feito antes. Teve então, um lindo encontro com Jesus. Enquanto lágrimas escorriam por seu rosto, ele repetiu a oração do velho homem...
'Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar mas penso em você todos os dias.
Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando.' Certo dia, o pastor notou que Jim não havia aparecido. Percebendo que sua ausência se estendeu pelos dias seguintes, começou a ficar preocupado. Foi à fábrica perguntar por ele e descobriu que estava enfermo. Durante a semana em que Jim esteve no hospital, a rotina da enfermaria mudou Sua alegria era contagiante.
A chefe das enfermeiras, contudo, não pôde entender porque um homem tão simpático como Jim não recebia flores, telefonemas, cartões de amigos, parentes... Nada!
Ao encontrá-lo, o pastor colocou-se ao lado de sua cama. Foi quando Jim ouviu o comentário da enfermeira:
- Nenhum amigo veio pra mostrar que se importa com ele. Ele não deve ter ninguém com quem contar!!
Parecendo surpreso, o velho virou-se para o pastor e disse com um largo sorriso:
- A enfermeira está enganada, ela não sabe, mas desde que estou aqui, sempre ao meio-dia ELE VEM! Um querido amigo meu, que se senta bem junto a mim, Ele segura minha mão, inclina-se em minha direção e diz:
'Eu vim só pra lhe dizer quão feliz eu sou desde que nos tornamos amigos.
Gosto de ouvir sua oração e penso em você todos os dias. Agora sou eu quem o está observando... E cuidando!'.

29 de jan de 2011

Tout les visages de l'amour

Essa é música francesa é linda, foi uma das primeiras músicas francesas que ouvi no meu curso, sua letra é tão linda e toca meu coração de forma tal que eu chego ficar emocionada...
P.S.: A letra da Música esta em francês, mas o vídeo contém legenda!
~*~*~*~

Tout les visages de l'amour

Toi, par tes mille et un attraits
Je ne sais jamais qui tu es
Tu changes si souvent de visage et d'aspect
Toi quelque soit ton âge et ton nom
Tu es un ange ou le démon
Quand pour moi tu prends tour à tour
Tous les visages de l'amour
Toi, si Dieu ne t'avait modelé
Il m'aurait fallu te créer
Pour donner à ma vie sa raison d'exister
Toi qui est ma joie et mon tourment
Tantôt femme et tantôt enfant
Tu offres à mon cœur chaque jour
Tous les visages de l'amour
Moi, je suis le feu qui grandit ou qui meure
Je suis le vent qui rugit ou qui pleure
Je suis la force ou la faiblesse
Moi, je pourrais défier le ciel et l'enfer
Je pourrais dompter la terre et la mer
Et réinventer la jeunesse
Toi, viens fais moi ce que tu veux
Un homme heureux ou malheureux
Un mot de toi je suis poussière ou je suis Dieu
Toi, sois mon espoir, sois mon destin
J'ai si peur de mes lendemains
Montre à mon âme sans secours
Tous les visages de l'amour
Toi ! tous les visages de l'amour

Vou passar pela cruz

Essa é outra música do PG que toca muito meu coração...
~*~*~*~
Não quero ir por atalhos/Quero seguir o caminho/Que tu preparastes pra mim, senhor/Quero agradar o teu coração/Te obedecer é sempre o melhor/Não quero ter tuas bênçãos/Sem antes passar pela cruz/Eu vou passar pela cruz/Me quebrantar/Vou passar pela cruz/Me arrepender/Vou passar pela cruz/Que ainda está manchada de sangue/Por tanto me amar/Vou passar pela cruz/E nela me ver/Vou passar pela cruz/E erguer um altar/Onde a oferta sou eu/Crucífico o meu eu/Te agradeço, oh, Jesus/Pela cruz/Fui comprado na cruz/Gerado na cruz/Redimido na cruz/Restaurado na cruz/Fui comprado na cruz/Restaurado na cruz


O&P 1995 X 2005 - Personagens

Eu custei, mas enfim consegui adquirir Orgulho e Preconceito versão 1995(por um preço muito salgado, diga-se de passagem), e enfim pude tirar minhas conclusões.
E como tenho muito a dizer sobre ambas as adaptações, decidi compartilher minha opinião aqui com o meu blog. Por isso, se faz necessário que eu divida em varios post's. Neste primeiro momento quero falar sobre os personagens.
Embora a o filme de 2005 seja o meu predileto, pois foi ele quem me apresentou todo esse mundo de Jane Austen, tenho que ser justa e analizar ambas as versões a luz do bom senso! Com certeza, ambas tem pros e contras, e em algum aspecto um me agradou mais do que o outro, por isso achei necessário fazer um post tão minucioso.
Então vamos a essa ardua tarefa, vou destrinchar ambas adaptações e dizer o que mais me agradou em uma e em outra;
  • Quanto aos personagens

Darcy: Ouvi muito dizer que Colin Firth tenha sido o melhor Mr Darcy, mas me sinto obrigada a discordar independente do que fale os críticos, afinal de contas, a opinião é minha e não tenho que agradar ninguém. Achei a atuação de Firth primorosa, ele é um ator explendido, mas no que diz respeito a melhor Mr. Darcy sou obrigada a ficar com o Matthew Macfadyen , não por que ele foi o ator da primeira vez que vi o filme, mas por que apesar de os críticos estarem certos no que diz respeito a mudança dele para com Elizabeth foi um pouco brusca ao invez de gradual, ainda sim, acho que ele captou melhor a essencia do personagem. Quando ele se mostra apaixonado, ele realmente demonstra estar apaixonado, enquanto Firth se manteve distante e austero mesmo quando se dizia apaixonado. Mas devo dizer que Firth em alguns momentos me conquistou, por exemplo a parte em que ele escreve a carta, ele realmente parecia angustiado.

Elizabeth: Ainda tenho dúvidas de qual delas gostei mais, Jennifer Ehle como Elizabeth foi mais fiel a sua personagem, enquanto Keira também foi perfeita, mas deixou um pouco da meiguice de Elizabeth escapar-lhe. Elizabeth tinha uma língua ferina como na interpretação da Keira, mas ela também era meiga como Jennifer Ehle foi. No entanto, acho que Elizabeth no que diz respeito aparência, Keira ganha em disparada. Não por que uma é mais bela como a outra, mas Jennifer Ehle pareceu-me um pouco velha para o papel.
Os Bennet's: Sinto muito, mas detestei os Bennet's da versão 1995, con excessão é claro do Mr. Bennet, ele era um verdadeiro cavaleiro, e foi muito fiel ao livro, sem se exibir demais e sem passar despercebido. Já Mr Bennet dessa última versão eu detestei, ele era sarcástico em excesso ao ponto de ser grosseiro! Já as meninas bennet's, sem dúvidas pefiro as da última versão, simplesmente por que elas conseguiram representar suas personagens muito bem sem parecerem muito afetadas. A Lydia de 95 quase conseguiu me deixar estérica de tão chata que era, a de 05 não, ela era pra frente, alegre e tal sem parecer vulgar. Quanto a Mrs. Bennet, fico com a da versão atual, sem sombra de dúvidas, ela foi muito superior a sua antecessora, que do mesmo modo que Lydia parecia afetada demais, beirando ao vulgar. Meus timpanhos doiam cada vez que ouvia aquela mulher falar.

Jane e Bingley - Minha versão preferida de Jane também foi a da nova versão, apenas por um quisito, a beleza, no resto, ambas ficam empatadas, o único problema da Jane da primeira versão é que ela é muito velha para o papel e não é tão bela como a segunda. Quando ao bingley sou obrigada a dizer que ambos os dois me agradaram, e que conseguiram ser perfeitos bobões!


Caroline Bingley: é fato, gostei muito mais dela na versão atual, ela jogava as indiretas sem ser descarada demais, ela realmente parecia pertencer a uma classe superior, havia classe e requinte em seus modos, até na forma de rir. A versão antiga quase me matou, pois sempre imaginei Caroline, apesar dos apesares, como uma rival da Elizabeth, e essa nem se quissesse poderia apresentar qualquer obstáculo para o casal principal e além de que ela é muito velha para o papel!


Lady Katerine: Eu não pude deixar de comentar, pois apesar de ser uma personagem detestável, sou obrigada a dizer que a direção da BBC escolheu muito mal a atriz para interpretar essa personagem. A nova versão conseguiu acabar comigo, ela superou o próprio personagem, a sua atuação foi explendida(eu chegava a ficar aterrorizada quando ela aprecia, hehehe). Achei ela maravilhosamente perfeita. Enquanto a outra Lady Caterine parecia inócua, parecia ser só uma velha coita adoentada (aquela cara de songa monga? Sem comentários).

Mr. Collins: Esse deu racha, é muito difícil dizer qual é mais sem noção, ou qual foi melhor interpretado. Acho que ambos extrapolaram seus papeis e o apresentou muito bem, em ambas as versões tinha um desejo ardente de matá-los.

Charlotte: Achei a personagem de 95 muito superior do que a da versão de 2005, ela foi mais fiel a sua personagem, apesar de a amizade ter entre ela e Elizabeth ter ficado mais evidente na versão de 2005.

Mrs. Wickman: Não sei dizer bem qual traste foi o melhor! Eles foram trastes muito bons, apesar de que o da versão de 1995 tinha mais cara de mocinho do que de vilãozinho (eu quase não acreditei que ele fosse aquele patife), mas quanto a mostrar suas garras acho que o Mr Wickman da segunda versão ficou melhor. Mas ambos são muito bons.


Georgina Darcy: sinceramente, não gostei de nenhuma das duas, prefiro a versão do livro, mas se tivesse que escolher realmente, preferiria a da segunda versão (2005).
E por último:
Coronel Fitzwillian: O da sedunda versão ganhou em disparada, não gostei nenhum pouco dela na versão de 95, ele simplesmente me embrulhava o estomago!!!!
CONTINUA...

O curioso caso de Benjamin Button

Esse filme foi uma febre quando entrou em cartaz e acredite, só depois de muito tempo é que pude vê-lo, sei lá por que, apenas sei que, desde que pus os pé na faculdade tenho visto poucos filmes(não que eu não goste de filmes, eu gosto!).
Achei interessante a idéia de um cara nascer velho e depois ir rejuvelhescendo(por que eu não tive esta idéia?),  e assim aproveitei e li uma versão em quadrinhos da estória e ... bom, vamos por partes!
Como li a versão HQ e vi o filme, acho interessante fazer uma comparação dos dois enredos. É inevitável que a adptação de qualquer obra literária agrade a gregos e troianos, devido as diferenças entre um estilo e outro é impossível ser fidedigno a obra original e com Benjamin Button não poderia ser diferente!
Ainda não li a obra na integra, mas essa é uma daquelas raras vezes em que o filme supera o livro(e isso é terrivel de dizer!).
Então deixe-me esclarecer alguns pontos entre essas adaptações:
  • No livro não é explicado por que Benjamin nasce velho, simplesmente diz que seus pais em anacronismo a época que viviam decidiu que o filho iria nascer em uma maternidade (coisa que na época da estória era um pouco incomum), o filme, pelo contrário, teve preocupação em relatar por que talvez Benjamin teria nascido velho, segundo este, se devia ao fato, de no dia e na hora do nascimento da criança, naquele mesmo instante foi inaugurado  um relógio que marcava as horas ao contrário.
  • Segundo fato de diferença que achei interessante é que no livro, Benjamin nasceu velho e grande, ja sabendo falar e tudo, no filme não, no filme benjamin nasce velho, como um resce-nascido velho. Ponto para o livro!
  • Eu achei interessante tanto a versão do filme quanto do livro no que diz respeito a "velhice" de Button, mas neste ponto, achei mais lógico a forma como foi sugerida no livro.
  • Quanto o que diz respeito ao primeiro amor de Benjamin, bom, ponto para o filme, o livro entrou em contradição, pois para este Benjamin pensava como velho e agia como velho, mas se apaixona como um jovem quando tinha 50 anos.
  • Apartir do momento que Benjamin já não é um velho gagá, o rumo deste é bem diferente em cada um dos enredos. Particularmente eu gostei mais do enredo do filme, foi mais dinâmico(e mais romantico).
  • Bem, no final, para ser sincera, nenhum deles me agradou. A lógica do livro aqui se seguiu. Benjamin foi diminuindo, diminuindo, até deixar de existir, mas sei lá, fiquei com dó, achei triste demais. Mas no filme, o que estava indo bem acabou estragando, Benjamin nasceu um recem nascido velho, e morreu um recem nascido jovem, agora me explica, tem lógica? É, eu sei que é ficção, mas mesmo a ficção segue uma lógica ficta, não é? Pela lógica do filme, Benjamin teria que ficar com um corpo de adulto e aparencia de uma criança....
Bom, no geral ambas as estórias são boas, mas eu prefiro a do filme!!!

Que sejas meu universo!!! (Parte II)

Como já foi dito aqui, essa música me toca muito! A Mon 9Blog Esvaziando a prateleira) generosamente comentou no meu blog e quis saber quem é o cantor. Bem o cantor é o PJ, no CD Eu sou livre, que foi lançado em 2008, e ficou 2 anos seguidos nas mais pedidas no cenário gospel. A composição é de Jesus A. Romero (que eu desconheço) e essa versão é do PG, ex-integrante da banda de Rock Gospel OFICINA G3. A letra é linda, mas a canção é igualmente maravilhosa(para quem não seja chegado a esse tipo musical). Querida Mon e outros, se quiserem ouvir essa versão da música Clique Aqui e faça o Download.

Desafio Literário - Janeiro: A Fantástica Fábrica de Chocolate

heheh, fiquei muito feliz em poder participar do desafio literário este ano! Então vou a minha primeira resenha: A fantástica fábrica de chocolates!
- A Fantástica Fábrica de Chocolates -
Tema: Literatura Infanto-Juvenil
Mês: Janeiro (Desafio Literário 2011)
Livro: A Fantástica Fábrica De Chocolates
Autor: Roald Dahl
Editora: Martins Fonte
Paginas:158
  • Sinopse:
O livro conta a estória de um pobre garoto chamado Charlie, ele mora próximo a uma famosa fábrica de chocolates. No entanto, existe um mistério ao redor da fábrica, após o roubo de uma receita do Sr. Wonka, ninguém mais sabe o que ocorre dentro daquela fabrica, ou quem trabalha lá, pois não se vê ninguém entrar ou sair de lá. No entanto, o Sr. Wonka resolve distribuir cinco bilhentes premiados, onde cinco crianças premiadas poderam conhecer todos os mistérios e maluquices que rodeiam a fantástica fábrica de chocolates do sr. Wonka.
  • Por que escolhi este livro:
Cresci vendo o filme a Fantástica Fábrica de Chocolates, então, quando percebi que existia um livro, fiquei louca de vontade de ler, mas sempre esquecia , ou desistia e deixava para depois. Como um dos livros indicados para ler esse mês era ele, aproveitei a oportunidade para lê-lo.
  • A leitura foi...
Descontraida e leve, como é um livro infantil, ele foi muito fácil de ler. É interessante notar que o filme foi bastante fiel o livro, o que me fez lembrar de diversas partes e me divertir muito.
  • A nota que dou ao livro:
3 ! Gostei do livro, mas não ao ponto de "virar a cabeça".

14 de jan de 2011

Que Sejas meu Universo!

Meu Universo

Que sejas meu universo
Não quero dar-te só um pouco do meu tempo
Não quero dar-te um dia apenas da semana

Que sejas meu universo
Não quero dar-te as palavras como gotas
Quero que saia um dilúvio de bençãos da minha boca


Que sejas meu universo
Que sejas tudo o que sinto e o que penso
Que de manhã seja o primeiro pensamento
E a luz em minha janela


Que sejas meu universo
Que enchas cada um dos meus pensamentos
Que a tua presença e o teu poder sejam alimento
Jesus este é o meu desejo


Que sejas meu universo
Não quero dar-te só uma parte dos meus anos
Te quero dono do meu tempo e dos meus planos


Que sejas meu universo
Não quero a minha vontade
Quero agradar-te
E cada sonho que há em mim quero entregar-te

~*~*~*~
Essa Canção é muito linda e toca muito meu coração! JESUS, que tu sejas o meu universo, tudo o que sinto e o que penso... Te amo senhor, e te agradeço por ter morrido na cruz por mim, por ter me salvado e ter me amado primeiro...

Em 2010...

Fiquei um bom tempo sumida, pensei em fazer uma retrospectiva, mas retrospectivas são muito clichês e afinal, todo mundo faz, o negocio é inovar, mas não, eu não vou inovar...
Na minha humilde opinião 2010 não foi um dos meus melhores anos, nunca me vi com notas tão baixas, mas fazer o que neh? Eu fiz por onde.
Em contra partida, aprendi muitas coisas esse ano, fiz muitas amizades, passei por maus bocados e por excelente momentos, descobri que ainda tenho que melhorar muito e que 2011 tem que ser melhor, por que se não a va vai pro brejo.
Houves muitas coisas boas e muitas ruins (mais ruins do que boas) e infelizmente não cumpri o desafio de ler 50 livros, mas fazer o que, para quem não leu quase nada num ano, 12 em outro, o saldo de 34 livros em um ano foi muito bom.
Fiquei muito triste por não ter lido os 50 livros, me senti uma derrotada, mas não é me desculpando não, eu comecei o desafio tarde e estava um pouco enferrujada, além de que eu tinha que dar atenção a faculdade também. Então, no final das contas me forcei sentir vitoriosa. E em 2011, eu vou ler 50 livros sim!
Bom, então é isso, 2010 não foi totalmente ruim, mas também não foi meu melhor ano, no entanto prometo tentar fazer 2011 ser o melhor ano de todos!!!

segue abaixo minha pequena lista de livros lidos em 2010:

  •  As crônicas de Nárnia - O cavalo e seu menino - C.S. Lewis
  •  As crônicas de Nárnia - A última Batalha - C.S. Lewis
  •  As crônicas de Nárnia - A cadeira de Prata - C.S. Lewis
  •  As crônicas de Nárnia - A viagem do peregrino a Alvorada - C.S. Lewis
  •  As crônicas de Nárnia - O principe Caspian - C.S. Lewis
  •  As crônicas de Nárnia - O Leão, a feiticeira e o guarda roupa - C.S. Lewis
  •  Este mundo Tenebroso II - Frank Peretti
  •  Este mundo Tenebroso I - Frank Peretti  
  •  Uma vida com propósito - Rick Warren
  •  Sussurro - Becca Fitzpatrick
  •  O filho do fogo - Daniel Mastral
  • A décima terceira história - Diane Setterfield  
  •  A plebéia - Jonh Burnham
  •  Mansfield Park - Jane Austen
  •  A amiga da Senhora Maigret - Georges Simenon
  •  A Escolha De Thelma - Janette Oke  
  • As crônicas de Nárnia - O sobrinho o Mago - C.S. Lewis  
  •  Batalha Espiritual - Jill Briscoe
  •  Conte-me seus Sonhos - Sidney Sheldon
  • Da Bruxaria Para Cristo - Doreen Irvine  
  •  Emma - Jane Austen  
  • O medo de Maigret - Georges Simenon  
  •  Orgulho e Preconceito - Jane Austen  
  •  Razões para crer na Bíblia - Davi Lago  
  •  Sociedade Secreta R&T 1 - Diana Peterfreund  
  •  Sociedade Secreta R&T 2 - Diana Peterfreund
  •  Sociedade Secreta R&T 3 - Diana Peterfreund  
  •  Sociedade Secreta R&T 4 - Diana Peterfreund
  •  Universalismo Europeu - Immanuel Wallesteins

 

Dinheiro Circulando!!!

Numa cidade, os habitantes, endividados, estão vivendo às custas de crédito. Por sorte chega um gringo e entra no único hotel. O gringo saca uma nota de R$ 100,00, põe no balcão e pede para ver um quarto.
Enquanto o gringo vê o quarto, o gerente do hotel sai correndo com a nota de R$ 100,00 e vai até o açougue pagar suas dívidas com o açougueiro. O açougueiro, pega a nota e vai até um criador de suínos a quem deve e paga tudo. O criador, por sua vez, pega também a nota e corre ao veterinário para liquidar sua dívida. O veterinário, com a nota de R$ 100,00 em mãos, vai até a zona pagar o que devia a uma prostituta (em tempos de crise essa classe também trabalha a crédito). A prostituta sai com o dinheiro em direção ao hotel, lugar onde levava seus clientes e como ultimamente não havia pago pelas acomodações, paga a conta de R$ 100,00. Nesse momento, o gringo chegava novamente ao balcão, pede sua nota de R$ 100,00 de volta, agradece e diz não ser o que esperava e sai do hotel e da cidade.

Ninguém ganhou um vintém, porém agora todos saldaram suas dívidas e começam a ver o futuro com confiança!

Moral da História: Quando o dinheiro circula, não há crise!!!

5 de jan de 2011

Retropectiva Literária 2010

O livro infanto-juvenil que mais gostei:
As crônicas de Nárnia - O leão, a feiticeira e o Guarda Roupa, afinal de contas: classico é classico, não eh? Eu estava namorando o livro das croônicas de árnia há mais de três anos, mas na época era muito caro, e eu destítuida de recursos. Esse ano, no entanto, surgiu a oportunidade de compra-lo a um preço razoável, e ai estamos nós.
Pode até ser um livro infanto-juvenil, mas uma boa estória sempre encanta nossos corações...



•A aventura que me tirou o fôlego:

As crônicas de Nárnia - o sobrinho do mago, eu simplesmente não sabia o que esperar, apenas li...Gostei de descobrir como Nárnia Surgiu, como tudo tomou vida e como em tudo há uma boa pitada de cristianismo. Foi bacana, como disse apesar de infantil, vele a pena...





•O terror que me deixou sem dormir:
Não tenho medo de livros de terror, mas um que me deu uns frios na espinha foi Este Mundo Tenebroso I e II, são livros que falam sobre batalha espiritual, e este na minha opinião é um assunto tenso. Você chega ficar neorótico tentando imaginar o mundo espirutual da forma como é descrita no livro... Mas apesar de tudo eu dormi tranquilamente, ele só me deixou sem dormir uma única vez, quando eu passei a noite todo lendo-o por que não conseguia larga-lo



•O suspense mais eletrizante:
É chato repetir, mas o suspense mais eletrizante foi também Este Mundo Tenebroso! Frank Piretti no seu modo singular em escrever não deixava agente desgrudar do livro. Era difícil largar meu exemplar, já que  uma sequência era mais eletrizante do que a outra...





•O romance que me fez suspirar:

A escolha de Thelma, esse romance é lindo!!! Thelma aquela gorotinha tão apegada a vida da cidade, tão apegada a sua vida... Largou tudo por amor de um homem que ela a principio não amava, mas que acabou se apaxonando perdidamente ao ponto de ela mesma pedi-lo em casamento...






•A saga que me conquistou:
Deixados para trás, eu sempre quis ler este livros, mas nunca dei trela, tive que ler a versão teen quando quiz fazer um trabalho diferente com meus alunos de escola dominical, mas depois que peguei para ler não pude mais largar, é simplesmente uma excelente forma de se contar como será o apocalipse...





•O clássico que me marcou:
Não sei quais são os critérios para um livro ser chamado de clássico, mas independentemente fico com Mansfield Park da Jane Austen. Sineramente, na minha humilde opinião este seria o livro do qual eu menos gostaria, me enganei, fiquei apaixonada por ele. Fiquei tão apixonada que quando terminei não tinha palavras para externar minha grande satisfação. Foi dificil esperar o final do livro para só depois comentá-lo aqui no blog...




•O livro que me fez refletir:
Se você que é cristão e quer ler um livro para impactar sua vida, esse livro é uma vida com propósito, ele é daqueles que você lê um capitulo por dia, mas no final do livro você vê uma grande transformação do seu eu, não tem como não refletir as verdades praticas desse livro e não querer aplica-las, ele é simplesmente edificante...




•O livro que me decepcionou:
Sussurro!
Eu realmente sou um pouco preconceituosa com livros contemporaneos juvenis, mas existem alguns que são muito bons. Quando me tornei uma pessoa ativa na blogsferaliterária descobri esse livro que era um fenômeno e eu fiquei louca para lê-lo. Quando enfim pude por as mãos nele, me decepcionei, as estória é até boazinha, mas deixa muito a desejar, até eu teria escrito algo melhor....
•O(a) autor(a) revelação:
Diana Setterfield

•O melhor livro nacional:
Lamentavelmente não posso responder essa, pois não li nenhum autor nacional esse ano (para minha vergonha, é claro).
De fato, sou uma pessoa infame, mas prometo melhorar e como prova disso vou tentar ler ao menos 6 livros nacionas em 2011 (Não confia muito não, tah mais para promessa de político, aff...)
VERGONHA:
Não li nenhum livro Nacional!!!
P.s.: Agora lembrei-me, li sim, mas foram pouquissimos e  todos evangélicos...


• O melhor livro que li em 2010:
É dificil explicar por que A décima terceira história foi o livro do ano, mesmo que exitam outros que sejam tão bons quanto ele. No entanto, ele tem algo a mais, ele fala o tempo todo sobre a paixão por livros e as feridas interiores dos personagens, além de que a trama secundária é muito envolvente do tipo que eu gosto de ler e a muito tempo não lia...
A autora da obra foi muito perspicaz na forma como armou toda a trama, como emaranhou várias estórias secundárias e como nos mostrou como a leitura transforma. Eu poderia falar muito mais, mas o encanto da obra só poderá ser entendido depois de lido.
Ufa, deu trabalho escrever este post...