30 de dez de 2011

As crônicas da Senhorita Audrey - ParteII


Apesar de me lembrar claramente como eu e a Srta Audrey nós conhecemos, de nada me lembro como foi que se estabeleceu nossa amizade. Diferentemente do que ocorreu com o dr. Watson e Sherlock Holmes que alugaram um apartamento juntos, Mademoiselle Cazalonga nada se lembra de como foi que tudo se desenrolou até elas se tornarem fieis e inseparáveis amigas.
A única coisa que me lembro é que quando dei por mim, já éramos grandes amigas... Grandes até demais para algumas pessoas...
Amizades verdadeiras são assim mesmo, a gente não sabe quando realmente começa, só toma consciência de que ela existe depois de muito tempo que ela foi solidificada, e comigo e com a Srta Audrey foi da mesma forma. Lembro-me de poucas coisas, antes de chegar a essa conclusão.
Lembro-me de certo dia em que estávamos na sala de aula, e enquanto a professora passava a matéria no quadro, eu ouvia o que Srta Audrey e alguns outros amigos estavam conversando. Apelidamos aquela conversa de “as pérolas da Luana”, pois devo confessar: não há nada de inteligente naquele diálogo...
Luana estava falando que iria viajar.
-Eu vou viajar para onde Judas perdeu as botas- disse ela.
-Onde é isso Luana?? – indagou Dr. Ornelas.
Nessa época, Srta Audrey se sentia atraída por um estúpido rapaz, naquela época, é claro, nem desconfiávamos que o sujeitinho era tão estúpido, mas não demoraria muito para descobrirmos, é necessário apenas saber que me referirei a ele como baucho, e o por que disso vocês irão descobrir nas linhas que se segue.
Luana não era loira, mas provavelmente ela deveria ter algum gene de loira, ou devia ter sido uma em alguma encarnação anterior... A questão é que, ás vezes falava antes de pensar!
- ah, é uma cidadezinha que fica na divisa da Bahia com o Rio Grande do Sul – disse ela.
Não preciso dizer mais nada né? Se você conhece um pouquinho que seja de geografia, sabe perfeitamente bem que a Bahia NÃO FAZ DIVISA com o Rio Grande do Sul. Você não pode imaginar o quanto rimos da cara da Luana. Até hoje, depois de ter passado anos e anos após esse ocorrido, passo mal de tanto rir só de lembrar!
A zuação foi grande, qualquer pessoa com mais de 10 anos de idade sabe que a Bahia faz divisa com uma porção de Estados, menos com o Rio Grande do SUL!!!
Como o rapaz por quem a Srta Audrey se sentia atraída era gaucho, hum hum, não deu outra, começamos a nos referirmos a ele como Baucho -  uma mistura de baino com gaucho -, uma eterna gozação a nossa colega Luana, haja vista que não falávamos pouco sobre o dito rapaz...
Nossa colega Luana soltou muitas pérolas durante aquele ano que conheci a Srta Audrey, e até mesmo nesse dia em que inventamos o apelido da paixonite da Srta Audrey, mas sem sombra de dúvidas, essa é a mais memorável!
Essa é a lembrança mais antiga que tenho da Srta Audrey, de quando ainda não éramos completamente amigas, mas que também não éramos totalmente desconhecidas. É claro que muitas outras coisas aconteceram, mas as lembranças que ficarão registradas aqui, são aquelas das quais mais me marcaram e que por algum motivo obscuro do qual desconheço, são as únicas que lembro.

Nenhum comentário: