16 de jun de 2011

Sherlock Holmes - Edição Comentada!!!

Sherlock Holmes é o detetive mais famoso da história do gênero policial, com milhões de fãs por todo o mundo. Nesse romance, de 1887, o leitor se depara com a primeira aparição pública de Holmes, aos 27 anos, e o momento que conhece o dr. Watson, parceiro de tantas aventuras. Os dois decidem dividir um apartamento, e Watson descobre que seu novo amigo tem uma ocupação pouco ortodoxa: é o único detetive consultor do mundo. Em pouco tempo, a dupla se vê envolvida numa história sinistra de vingança e assassinato.


É dificil tecer criticas a um livro do qual você é apaixonada.
Quando digo que a maturidade literária abre os nossos horizontes, não estou mentindo, é a mais pura verdade. Essa é a segunda vez que leio Um estudo em vermelho, da outra vez eu tinha 15 anos e esse gênero era muito avançado para uma leitora imatura como eu.
Hoje, com novos olhos, pude entender melhor, não por causa dos comentários, mas por ter mudado e evoluido tanto dos meus 15 anos para agora.
Antes de mais nada, gostaria de deixar registrado que amei essa edição da Zahar, fiquei sim, um pouco desapontada, mas a edição é quase de luxo. Meu desapontamento, vem do fato que eu demorei tanto conseguir por as mãos nestes livros, que criei expectativas demais.
Apesar da edição primorasa da Zahar, deixando qualquer amante do Canone Sherlockiano de queixo caido, devo fazer algumas resalvas, por que afinal, nada nessa vida é perfeito.
Primeiro: os comentários são ótimos, em sua maioria, é claro, mas outros... Achei que alguns comentários eram desnecessários, e em outros casos, achei que sobre determinada coisa seria legal ter um comentário e não tinha.
Segundo, quando fala que era ilustrada, eu realmente pensei que houvesse muitas ilustrações originais, e quanto a isso, fiquei desapontada, tinha varias ilustrações antigas, mas achei que teriam mais ilustrações... por mais que eu não goste muito de um livro desse calibre, seja ilustrado.
Terceiro, a posição dos comentários. Isso foi o segundo maior dos pecados, haja vista que o maior foi os comentários desnecessarios e a falta de alguns relevantes. Os comentários  ficavam no final do capítulo, e eu pessoalmente detesto isso. Fica chato, por que cada vez que eu queria ler um determinado comentário tinha que procurar o final do capítulo ou ficar segurando as páginas até o final.
Basicamente, as resalvas são essas. Achei a tradução muito boa, e fluencia também. É uma excelente edição, que pessoalmente eu amei.
Quanto a obra em si, é dificil falar, Sir Arthur Conan Doyle é bom. Lembro-me que quando li alguns livros dele pela primeira vez, eu o achei fenomenal, hoje não, acho-o apenas um bom escritor e com alguns métodos passivel de falhas, mas isso é irrelevante, diante do nosso amado Holmes.
A minha nota para a obra em si e para a edição da Zahar, não pode ser nada menos que 5 em uma escala de 1 a 5.

Nenhum comentário: