29 de fev de 2012

Por que Helena de Tróia e não de Esparta???

O trágico fim que levou a gloriosa Tróia é conhecido por qualquer pessoa que se preze, uma cidade destruída pelas chamas, e que o que sobrou da cidade gloriosa foram apenas destroços daquilo que um dia ela fora. 
Bem, uma questão que minha amiga Dayana sempre colocou em cheque foi o fato de Helena ser chamada de Helena de Tróia e não de Helena de Esparta, ficava irritada, sabe lá Deus por que. Enquanto leio a obra Cassandra da escritora alemã Christa Wolf, chego a pensar que por um momento entendo o motivo dela ter sido chamada de Helena de Tróia e não de Esparta. 
As linhas a seguir, discute o por que de tal colocação. É um pouco difícil falar sobre Tróia sem antes falar um pouco sobre sua estória, espero que o leitor tenha o conhecimento mínimo possível para que possa entender o que desejo passar... 
De acordo com as tragédias gregas, mesmo após ter fugido com seu amante Páris, e mesmo depois de ter vivido dez anos com este, Helena voltou para seu marido, Menelau, o então rei de Esparta. Venhamos e convenhamos que Helena só foi um pretexto que os gregos arrumaram para conquistar uma passagem que pertencia aos troianos, nada mais nada menos que questões comerciais. Ora, os gregos de Esparta haviam roubado Hesíone, a irmã do Rei Príamo, por que não revidar a altura neh?? 
No entanto, entendo que Helena preferiu ser troiana do que espartana, mesmo que em Esparta as mulheres gozavam de privilégios como nenhuma outra. Devemos ressaltar que Menelau era Rei de Esparta por que se casou com Helena, e não o contrário, os pretendentes se comprometeram em ajudar aquele que fosse escolhido a casar com Helena, não por que eram bonzinhos, mas para não haver guerras entre eles, ou não tentarem roubá-la entre si. Helena foi obrigada a casar com quem queriam que a casasse, não teve escolha, como muitas outras antes de si não tiveram, mais pior do que todas, era escrava de sua dádiva, a beleza. 
Então, é por aqui que acredito que Helena preferiu ser troiana a espartana, por que em Tróia, pôde decidir sobre o que queria, além de quê não perderia a glória, a fortuna ou o prestígio e ainda sim seria livre. 
Mas infelizmente, quem dita ás regras e conta a história, são os vencedores e não os vencidos. Helena, foi obrigada a voltar para seu marido, que idiota como era, a recebeu de bom grado, mesmo que ela não o quisesse. Seu destino foi sem dúvida, muito melhor do que o de tantas outras troianas, que tentando defende-la acabaram na ruína e na desgraça, ela apenas voltou como escrava ao seu antigo dono que na tentativa de fugir acabou levando a gloriosa tróia a ruína.

Nenhum comentário: