29 de jul de 2008

A inutilidade das palavras

O ser humano criou a fala para se comunicar, a princípio era apenas grunhidos(levando em consideração a teoria da evolução, teoria da qual eu não compartilho), esses grunhidos associados a gestos passou a ter um significado específico. Assim o homem criou a fala da necessidade de se comunicar...
Alguns milhares de anos mais tarde, da necessidade de manter registrada sua história, os primeiros povos da Mesopotâmia criam a escrita (alguns outros povos como os maias também, mas como a história da ênfase ao povo que eu citei, ficaremos com ele mesmo), a escrita evoluiu e se tornou o que conhecemos hoje.
A fala e a escrita são muito úteis nos dias hoje, se elas não houvessem sido criadas, o mundo tecnologicamente falando, estaria atrasado em milhares de anos. Mas eu me pergunto, de que elas servem? Nada! Essa é a minha resposta.
Da mesma forma como tudo o que os seres humanos criam, elas ainda devem ser aperfeiçoadas, pois apenas aquilo que Deus criou é perfeito. Deus criou o mundo em seis dias, e no sétimo dia descansou. Apesar de sua agilidade em criar o mundo, ele foi perfeito em todos os detalhes... O homem, criou a escrita a mais de 7.000 anos atrás, mesmo assim ainda tem que aperfeiçoá-la.
Alguns podem me achar radical, talvez eu seja mesmo, mas você então me faça um favor: me explique o amor, defina o sentimento de amizade... O dicionário define o amor como sentimento que predispõe a alguém desejar o bem de outrem; e define amizade como sentimento de fiel afeição. Mas amor e amizade são termos bem mais amplos... Tão amplos que nossa escrita não pode explicar. Nossas palavras de nada servem para explicar a complexidade de tais sentimentos. Como explicar aquela sensação maravilhosa que enche seu coração quando você esta próximo daquela pessoa que tanto ama???
Como definir a compaixão? A tristeza? Outros dois termos tão amplos que nossas palavras mal podem explicar. É por isso que digo, as palavras são inúteis quando queremos definir nossos sentimentos, elas ainda são bastante arcaicas para poder definir sentimentos tão poderosos...
Pensando melhor, arcaica deve ser eu tentando colocar no papel a complexidade desses sentimentos, pois como eu disse, Deus é perfeito, e tudo que ele criou é igualmente perfeito, então por que eu tento explicar o inexplicável?
Serei eternamente uma admiradora daquilo que Deus criou, tentando de uma forma ou de outra usar palavras arcaicas para explicar a complexidade de Deus...
Por Natalie Baptiste Casalonga

Nenhum comentário: